Última hora

Última hora

Japão: Tribunal da ONU considera que caça à baleia é ilegal

Em leitura:

Japão: Tribunal da ONU considera que caça à baleia é ilegal

Tamanho do texto Aa Aa

Pode ser o primeiro passo para o fim da caça à baleia pelo Japão.

O Tribunal Internacional de Justiça decidiu, esta segunda-feira, que o programa científico de caça dos grandes cetáceos, levada a cabo por Tóquio no Oceano Antártico, não respeita os acordos internacionais.

O tribunal das Nações Unidas, sediado em Haia, na Holanda, estima que o Japão captura “demasiados” animais para um programa que se diz apenas científico.

A ONG Sea Shepherd, que se opõe à caça da baleia espera que seja o fim da atividade.

“Não sei se o Japão vai continuar com a caça à baleia. Talvez encontre um novo programa de investigação científica, no futuro, mas, para já, estou bastante confiante de que isso não acontecerá”, afirma Geert Vons, da ONG.

Entre março de 2012 e março de 2013, o Japão capturou 422 baleias no Antártico e no norte do Oceano Pacífico.

Tradicionalmente, a baleia é a fonte de proteínas mais barata do Japão.

A nível internacional, a caça comercial foi suspensa em 1982, sendo autorizada apenas a captura para fins científicos.

Noruega e Islândia rejeitaram a moratória e continuam a caça dos grandes cetáceos para fins comerciais.

O Japão optou pelo programa científico, oficialmente, com o objetivo de demonstrar que o ‘stock’ de animais não está em perigo.

A Sea Shephard trouxe para a ordem do dia a questão, ao levar a cabo ações em pleno mar, que chegaram a pôr em risco a tripulação dos navios.