Última hora

Última hora

The Corner, viagem pelo futebol europeu

Em leitura:

The Corner, viagem pelo futebol europeu

Tamanho do texto Aa Aa

Nesta décima segunda edição do Corner, fazemos uma viagem pelos vários campeonatos de futebol da Europa.

Começamos com o Bayern de Munique, que na semana passada confirmou o lugar de campeão da Alemanha, pela vigésima quarta vez, quando faltam ainda sete jogos. Um recorde.

Os 3-1 em Berlim, contra o Herta, deram-lhe uma décima nona vitória consecutiva, outro recorde. 53 jogos sem perder, contando com o jogo do fim de semana. A equipa de Guardiola pode agora abrir o champanhe e centrar-se na Liga dos Campeões. Nem o empate na Allianz Arena com o Hoffenheim, no domingo, estragou a festa.

Na receção ao Hoffenheim, o Bayern de Munique não conseguiu melhor que um empate. O jogo foi recheado de golos, com os visitantes a marcarem primeiro, com um golo do francês Anthony Modeste.

O Bayern empatou pouco depois por Pizarro. A bola passou antes por Rafinha e por Shaqiri. Logo a seguir, aos 34 minutos, mais um golo com intervenção dos mesmos jogadores, é a vez de Xherdan Shaqiri, a passe de Rafinha, fazer o 2-1.

Cláudio Pizarro bisou pouco depois e pôs o Bayern a vencer por 3-1, com uma tabelinha com Ribéry.

Antes ainda do intervalo, Sahilovic reduziu a desvantagem para o Hoffenheim. O Bayern entrou na segunda parte a vencer por 3-2.

O único golo da segunda parte foi o golo da igualdade. Kai Hederling passa para Roberto Firmino, que faz o 3-3 para o Hoffenheim.

Com o título entregue, os outros jogam plos lugares que faltam. O Borussia de Dortmund e o Schalke têm, neste momento, acesso direto garantido à Champions. Já o Bayer Leverkusen está ameaçado pelo Wolfsburgo no acesso à pré-eliminatória.

Em Inglaterra há, mais uma vez, uma mudança no topo da tabela. O Liverpool é o novo líder, graças à oitava vitória consecutiva, em Anfield contra o Tottenham. 4-0 foi o resultado deste jogo, que deixou os rivais dos Reds verdadeiramente assustados.

A começar pelo Manchester City, parado em Londres pelo Arsenal de Arsène Wenger. Os “gunners”, com este empate, puseram fim à série de vitórias dos “citizens”.

O Liverpool está em primeiro, com dois pontos de vantagem sobre o Chelsea, que perdeu, surpreendentemente com o Crystal Palace. O City é terceiro, a quatro pontos.

Vamos agora até Espanha, onde não há mudanças, graças a vitórias das três equipas que lutam pelo título. O Atlético de Madrid esteve a perder em Bilbau, mas Diego Costa e Koke deram a volta ao resultado, descansando Simeone.

O Barcelona venceu graças a um penálti do homem do costume, Messi, no dérbi contra o Espanyol. O Real Madrid, que tinha de vencer depois de duas derrotas, cumpriu o dever com uma goleada ao Rayo Vallecano. A sete jogos do fim, os três clubes estão todos num raio de apenas três pontos.

Vamos agora para Itália, onde um grande Nápoles parou a Vecchia Signora. Sem Tevez, a Juventus, cansada, perdeu no estádio de San Paolo e abrandou a luta pelo terceiro scudetto consecutivo.

Buffon não chegou para a Juventus. O Nápoles foi mais forte e venceu por 2-0. Vingou-se da derrota do início da época, quando os campeões italianos tinham ganho por 3-0.

Apesar de tudo, a Juventus continua à frente, com uma vantagem de 11 pontos sobre a Roma, que venceu o Sassuolo. A vantagem pode reduzir-se para 8 pontos, na quarta-feira, no jogo contra o Parma.

O Ajax está mais perto de um quarto título consecutivo na Eredivisie, ao vencer na trigésima jornada contra o Twente. A cinco jogos do fim, o Ajax tem uma vantagem de oito pontos sobre o Feyenoord, que é segundo. É uma vantagem confortável, mas que tem de ser bem gerida.

O Ajax provou por que é líder incontestado da liga holandesa. Ao receber o Twente, a equipa de Amesterdão não deu hipóteses.

Primeiro golo ao minuto 29 – Denswil cabeceia, depois do livre batido por Lasse Schone.

Foi o mesmo Schone a fazer o golo do 2-0, já na segunda parte. Uma jogada que começou em Bojan Krkić, que passa para Ricardo van Rhijn. É Schone quem faz o remate final, em cheio entre os postes.

Bojan fez o 3-0 final, ao minuto 65, com um tiro de fora da área, a passe de Davy Klaassen. O Ajax assina assim uma vitória, em casa, por três secos.