Última hora

Última hora

Ébola é mais letal que o HIV

Em leitura:

Ébola é mais letal que o HIV

Tamanho do texto Aa Aa

A África Ocidental mobiliza-se, contra a propagação do vírus ébola.

A Guiné-Conakry é o país mais afetado pela febre hemorrágica que, desde Janeiro, matou 86 pessoas, das 137 infetadas.

Quarenta e cinco desses casos foram confirmados, como vítimas do virus ébola, altamente contagioso e frequentemente fatal.

A ONG Médicos sem Fronteiras, muito ativa na Guiné, fala de uma epidemia sem precedentes.

“Estamos a enfrentar uma epidemia numa escala nunca vista, especialmente, se repararmos, no número de casos em diferentes regiões”., diz Michel van Herp, dos Médicos sem Fronteiras.

Não há nenhum tratamento específico contra o vírus ébola. O paciente apresenta uma febre hemorrágica severa. Em 90 por cento dos casos, a hemorragia é interna e externa e a morte torna-se inevitável.

Os primeiros sintomas, incluem a febre alta, dor de cabeça e fraqueza. Um quadro parecido com o paludismo.

Michel van Herp diz que esta estirpe é a mais agressiva:

“Estamos perante a estirpe mais agressiva do ébola, que tem origem no Zaire. É uma estirpe que, estatiscamente, mata mais de noventa pessoas em 100 infetados”

Descoberto em 1976, na República Democrática do Congo, antigo Zaire, o ébola espalhou-se, depois, pela Libéria, Serra Leoa e Mali.

Adotou o nome do rio congolês, Ébola. Transmite-se através do contacto direto com sangue, fluidos biológicos ou tecidos de indivíduos infetados, humanos ou animais, vivos ou mortos.

O professor Jean-Jacques Muyembe diz que os morcegos são os principais transmissores:

“Pensamos que os grandes morcegos que comem frutas são os portadores principais do vírus, mas ainda temos de confirmar isto. A única maneira de lutar contra o ébola é através da higiene, cortando a cadeia de transmissão, ou seja, detetar a doença rapidamente e isolar as pessoas infectadas”

O professor Muyembe insiste na urgência de encontrar uma vacina contra o ébola, um vírus que se espalha e mata mais rapidamente que HIV.