Última hora

Última hora

Ilhas Salomão: depois da tempestade, o sismo

Em leitura:

Ilhas Salomão: depois da tempestade, o sismo

Tamanho do texto Aa Aa

Um sismo de magnitude 6 na escala de Richter atingiu, esta sexta-feira, as ilhas Salomão, já fustigadas, nos últimos dias por chuvas torrenciais.

As inundações provocaram a morte a, pelo menos, seis pessoas, e várias dezenas estão desaparecidas.

O sismo – que não parece ter causado danos – , teve epicentro ao largo da ilha de Makira, a maior do arquipélago, ao passo que as cheias atingiram sobretudo Honiara, a capital das ilhas Salomão, em Guadalcanal, onde milhares de pessoas tiveram de ser realojadas.

“Ainda ontem tivemos de realojar 10 mil pessoas em acampamentos e centros de acolhimento”, afirmou Sipuru Rove, do Gabinete de Gestão de Catástrofes das Ilhas Salomão.

Com a chuva que continua a cair, o governo declarou o estado de emergência face uma situação que a ONG Save the Children classifica de “desastrosa”. “Os membros da minha organização têm visto mortos, sobretudo, crianças mortas, arrastadas pelas cheias”, explica Graham Kenna, um responsável da Save the Children.

Tanto as ONG como os serviços de emergência temem agora a propagação da dengue, uma febre epidémica causada por um vírus transmitido pelos mosquitos. A doença, sendo raramente mortal, enfraquece muito as pessoas que a contraem, e já esta largamente disseminada no arquipélago, situado no chamado Anel de Fogo do Pacífico.