Última hora

Última hora

Manifestantes e polícia em confronto às portas das instituições da UE

Em leitura:

Manifestantes e polícia em confronto às portas das instituições da UE

Tamanho do texto Aa Aa

Cerca de meia centena de polícias faziam, esta sexta-feira, a segurança do chamado quarteirão europeu em Bruxelas, onde ficam as instituições da União Europeia (UE), quando manifestantes anti-austeridade começaram a atirar pedras, explosivos artesanais e outros objetos.

As autoridades responderam com canhões de água e gás lacrimogénio.

O correspondente da euronews em Bruxelas, Sandor Zsiros, explica que “alguns dos protestos mais violentos decorreram junto da delegação da Euronews em Bruxelas. Com o nosso repórter de imagem tentei filmar na rua, mas os manifestantes tornaram-se muito violentos, empurrarram os repórteres e bateram várias vezes no meu colega que usava a câmara”.

O protesto foi convocado pela Confederação Europeia de Sindicatos, cujo manifesto recorda que foi gasto um bilião de euros para salvar a banca, mas que 26 milhões de europeus estão desempregados.

Noutras partes da capital belga, dezenas de milhares de pessoas vindas de vários países desfilaram de forma ordeira para exigirem aos governos da UE mais investimento e criação de empregos como resposta à crise.