Última hora

Última hora

Afeganistão: "Nem os animais vivem aqui"

Em leitura:

Afeganistão: "Nem os animais vivem aqui"

Tamanho do texto Aa Aa

Longe de casa, vítimas da violência, sem nada, são ao todo mais de 500 mil deslocados no Afeganistão e a tendência é para aumentar.

Num dos campos de deslocados, nos arredores de Cabul, não existe nada, só miséria, à excepção de alguma solidariedade. Mesmo o futuro foi adiado para as crianças, sem possibilidade de irem à escola.

Centenas de famílias deixaram tudo para trás, em particular, no sul, nas provincias mais atingidas pela guerra.

“Cerca de 850 famílias vivem neste campo de deslocados. São de Helmand, Kandahar e Uruzgan. Lamento dizê-lo mas nem os animais vivem aqui”, revela um habitante do campo.

A lama e a água da chuva fazem companhia às brincadeiras dos muitos que vão encarnar os homens e as mulheres de amanhã.

Este é apenas um campo, uma amostra da miséria provocada pela violência. Fora do país, refugiados existem mais de 2 milhões e meio, dados do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR).