Última hora

Última hora

Hungria: Primeiro-ministro quer maioria expressiva

Em leitura:

Hungria: Primeiro-ministro quer maioria expressiva

Tamanho do texto Aa Aa

A Hungria elege, este domingo, os novos membros do parlamento. Mais de oito milhões de eleitores são chamados a escolher o seu eleito, num escrutínio com muitos candidatos independentes.

O partido conservador do Primeiro-ministro parte como favorito à corrida, nestas legislativas. Viktor Orbán votou, com a mulher, esta manhã:

“Uma afluência grande às urnas permitiria um governo mais forte. É, de facto, importante que o parlamento seja formado por uma maioria expressiva. Eu espero que muitos eleitores votem para que, seja qual for o governo, ele possa começar a trabalhar com um forte apoio do público”, afirmou, à saída, o Primeiro-ministro.

Attila Mesterházy, líder de uma esquerda unida húngara, quer evitar que o partido conservador do chefe do executivo alcance a maioria absoluta mas as sondagens não o apoiam. E ainda que mostrem esta coligação na segunda posição, nas intenções de voto, a verdade é que a extrema-direita húngara deverá ganhar terreno nestas legislativas. A formação deverá obter um resultado melhor do que aquele que alcançou nas últimas eleições. Os primeiros resultados deste ato eleitoral são esperados ainda esta noite.

O próximo parlamento da Hungria terá apenas 199 deputados, ao contrário dos anteriores 386, uma das alterações que marcam estas eleições.