Última hora

Última hora

A maior exposição dedicada a Ai Weiwei em Berlim

Em leitura:

A maior exposição dedicada a Ai Weiwei em Berlim

Tamanho do texto Aa Aa

A maior exposição dedicada ao artista dissidente chinês Ai Weiwei abre as portas em Berlim. São três mil metros quadrados divididos por 18 salas.

Ai Weiwei não foi autorizado a viajar até à capital alemã. Preparou a retrospetiva a partir do seu estúdio em Pequim.

Um dos momentos fortes da mostra é a instalação, realizada no átrio do museu, que reúne seis mil troncos de madeira de várias aldeias do norte da China.

“Ai Weiwei é um artista e por isso recorre a uma linguagem artística, trata-se de arte conceptual. Mas por outro lado, nalgumas obras há uma mensagem que temos de decifrar. Claro é muito político porque ele fala do que se passa na China e no que se passou com ele e também nas relações entre a China e o Ocidente”, sublinhou Gereon Sievernich, comissário da exposição.

Uma das instalações retrata o período em que o artista chinês esteve preso.

Ai Weiwei foi detido em 2011 alegadamente por fraude fiscal.
Passou 81 dias detido em condições degradantes num local desconhecido. Foi libertado sob caução mas não pode sair de Pequim sem autorização.

A retrospetiva pode ser visitada em Berlim, no museu Martin-Gropius-Bau, até 7 de Julho.