Última hora

Última hora

Índia: Eleições na maior democracia do mundo "anunciam" mudança

Em leitura:

Índia: Eleições na maior democracia do mundo "anunciam" mudança

Tamanho do texto Aa Aa

A maior democracia do mundo, a Índia, começou a votar para escolher um novo primeiro-ministro.

O destino do segundo país mais populoso do mundo está na mão dos 815 milhões de eleitores, que de acordo com sondagens, deverão optar pela mudança, e retirar a confiança no partido que tem dominado a vida política indiana em 60 anos de história independente da nação.

E é o nacionalista hindu da formação Bharatiya – Narendra Modi – o favorito à vitória, apesar dos estudos de opinião indicarem que não vai conseguir a maioria absoluta.

Apoiou a sua campanha em promessas do regresso do país aos anos de ouro do crescimento económico, criação de emprego e na modernização dos transportes e vias de comunicação.

Do outro lado, a face da dinastia política Nerhu-Ghandi, é Raul Ghandi do partido Congresso, que venceu as duas últimas eleições, mas em declínio, em parte pelo fraco desempenho dos últimos executivos e casos de corrupção.

O analista político Shahid Siddiqui afirma que “hoje, quase 70 a 80 por cento dos nossos eleitores têm menos de 35 anos e esses eleitores não se sentem atraídos por Rahul Ghandi. Por isso, Rahul, como líder da dinastia do Congresso, a dinastia que dominou o parlamento nas últimas 6 décadas, parece estar a falhar e a dinastia do partido aparenta estar em queda”.

Devido ao tamanho e à densidade populacional do país, o processo eleitoral para escolher um primeiro-ministro governo e os 543 deputados apenas estará concluído dentro de 6 semanas.