Última hora

Última hora

Tensão no leste ucraniano

Em leitura:

Tensão no leste ucraniano

Tamanho do texto Aa Aa

As forças especiais ucranianas reestabeleceram o controlo do edifício da administração regional da cidade de Kharkiv e detiveram 70 pessoas, mas uma multidão pró-russa manteve-se no exterior a exigir um referendo sobre a adesão da província à Federação Russa.

De acordo com as autoridades ucranianas, não houve tiros mas um polícia terá ficado ferido na intervenção que durou pouco mais de 18 minutos.

Há quem acredite que Moscovo está por detrás dos tumultos.

“A situação que temos em Kharkiv está a ser provocada pelo lado russo. É do interesse russo voltar a controlar Kharkiv, Donetsk e Luhansk”, diz um ucraniano.

As três cidades com uma grande população de origem russa vivem tumultos idênticos, iniciados no fim de semana em Donetsk. Os Estados Unidos apontam o dedo à Rússia.

“O envolvimento claro e sem sombra de dúvidas da Rússia em ações desestabilizadoras e separatistas no leste da Ucrânia é mais do que perturbador. Ninguém se deve enganar e, acreditem, ninguém é enganado pelo que pode ser um contexto criado para uma intervenção militar, tal como vimos na Crimeia”, acusou John Kerry, secretário de Estado norte-americano.

O chefe da diplomacia russa rejeitou as acusações do homólogo norte-americano e contra-atacou. “Em relação a quem está a preparar os eventos na Ucrânia, os nossos parceiros americanos estão provavelmente a tentar analisar a situação atribuindo os seus hábitos aos outros”, considerou.

Com os tumultos pró-russos em três cidades do leste do país, Kiev envia militares para a zona para se preparar contra uma possível anexação russa, semelhante ao que aconteceu com a Crimeia.

Recorde-se que o presidente Vladimir Putin prometeu defender os interesses das população com origens russas e tem um exército junto à fronteira com a Ucrânia.