Última hora

Última hora

Oscar Pistorius: Procurador tenta provar a tese de "morte com premeditação"

Em leitura:

Oscar Pistorius: Procurador tenta provar a tese de "morte com premeditação"

Tamanho do texto Aa Aa

Oscar Pistorius viveu hoje o pior dia do seu julgamento, ao ser confrontado com as questões da acusação, que tenta provar que o campeão paraolímpico sul- africano assassinou voluntariamente a namorada.

O procurador, Gerrie Nel, acusou-o de assassínio premeditado e de infração à legislação sobre o porte de arma e fez projetar um vídeo onde se vê o atleta num campo de treino de tiro.

No interrogatório que se seguiu, Nel perguntou a Pistorius: “Está a ver o impacto desta bala na melancia? Explodiu, não foi? Foi o mesmo que aconteceu à cabeça de Reeva”, concluiu.

Depois mostrou a fotografia da cabeça da jovem. Em lágrimas, o atleta respondeu que não precisava de ver a foto, estava lá e viu a cabeça da namorada e essa imagem atormenta-o.

A forma como o procurador conduziu o interrogatório foi alvo de um protesto por parte do advogado de defesa.

Gerrie Nel defende a tese de que os namorados discutiram violentamente, que Reeva se refugiou na casa-de-banho com medo e que Pistorius disparou sabendo que ela estava lá dentro.