Última hora

Em leitura:

MH370: quanto custam as buscas?


Malásia

MH370: quanto custam as buscas?

Enquanto nas águas ao largo da Austrália aumenta o otimismo relativamente ao paradeiro do Boeing 777 desaparecido há mais de um mês, outras questões começam a levantar-se.

O primeiro-ministro australiano já disse que a prioridade é detetar o aparelho mas quem vai pagar por esta gigantesca operação multinacional?

“Estamos agora na fase em que estamos confiantes em como os sinais detetados pertencem à caixa negra do aparelho. Esperamos retirar o máximo de informações possíveis antes do sinal se extinguir”, adiantou o primeiro-ministro australiano, Tony Abbott, esta sexta-feira no decurso de uma visita à China.

As buscas envolvem oito países e incluem meios marítimos e aéreos.

A confirmarem-se as suspeitas, o Boeing 777 poderá estar a mais de quatro mil e quinhentos metros de profundidade.

Por enquanto, o recorde é detido pelo voo AF447, da Air France, detetado a quase 4 mil metros de profundidade.

O incidente ocorreu em 2009 na rota entre o Rio de Janeiro e Paris. As operações para recuperar a caixa negra demoraram dois anos. O custo atingiu os 36 milhões de euros.

Desde o desaparecimento do MH370 há mais de um mês multiplicaram-se as operações de busca.

A Austrália mobilizou meios consideráveis. Algumas estimativas apontam para custos até ao momento situados entre os 13 e os 17 milhões de euros.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

tradução automática

tradução automática

Artigo seguinte

mundo

Turquia: Tribunal Constitucional chumba reforma judicial de Erdogan