Última hora

Última hora

Mantêm-se as barricadas no leste e sul da Ucrânia

Em leitura:

Mantêm-se as barricadas no leste e sul da Ucrânia

Tamanho do texto Aa Aa

Na cidade ucraniana de Donetsk, manifestantes anti-Kiev continuam a erguer barricadas e a tentar ocupar edifícios oficiais.

Um fenómeno que se está a estender a outras cidades do leste e o sul da Ucrânia.

Os manifestantes estão a receber apoio das suas próprias famílias.

Ludmila Yazhenova, de 62 anos, diz que já está aqui há três dias, dando apoio logístico aos jovens que reclamam a separação da cidade:

“Eu sou uma mãe de muitos filhos e estou aqui de minha própria vontade. Estou aqui para apoiar os nossos rapazes, aqui fora. Há três dias que estamos aqui a fazer sanduíches e a preparar salsichas”.

A onda separatista parece viral, no sul e no leste do país. Depois da Crimeia e de Donetsk, outras cidades estão a reclamar a sua indepência.

São os casos de Luhansk e Kharkov.

Em Luhansk, os manifestantes, empunhando bandeiras russas, reclamam a realização de um referundo local, para se saber de que lado está a maioria. Se do lado da Rússia, se do lado da Ucrânia.

O mesmo se passa na cidade de Kharkov, a população russófona quer referendar a eventual integração da região, na Rússia.

Os estúdios locais da televisão foram ocupados e grande parte do material destruído.

Um técnico disse aos jornalistas que o centro de produção ficou inoperaqtivo e que não há dinheiro, nem equipamento, para normalizar a situação.

O presidente da Ucrãnia prometeu benevolência para os manifestantes que abandonasse, os protestos. Mas não obteve, por enquanto, grandes resultados.