Última hora

Última hora

SportAccord sai da sombra

Em leitura:

SportAccord sai da sombra

Tamanho do texto Aa Aa

A décima segunda convenção SportAccord realiza-se este ano sob o lema “Where Sport Meets”. Esta é a grande cimeira da organização, à qual pertencem todas as federações desportivas do mundo. A organização tem quase século de existência. Apesar de pouco conhecida, tem decisão sobre o futuro do desporto no mundo.

O que é a SportAccord podemos perceber também pela lista dos seus membros, como nos explicou o diretor geral da organização, Vlad Marinescu:
“Damos apoio aos nossos membros, abordando em conjunto o mundo do desporto, criando a maior base de conhecimentos existente. E fomentando as melhores práticas, fazemos chegar aos nossos membros as nossas propostas, que eles podem depois pôr em ação nas suas atividades”.

Esta é uma plataforma comum, onde podemos discutir projectos de cooperação com as várias federações desportivas, Encontrar financiadores ou países que estejam disponíveis para hospedar futuros eventos desportivos.

De acordo com Nis Hatt, responsável pela organização desta cimeira, a Convenção é um momento alto na vida da SportAccord:
“A Convenção da SportAccord é um encontro que dura seis dias e onde se encontram todos os decisores do mundo desportivo. É aqui que são tomadas as futuras decisões sobre o desporto mundial.”

Aqui podemos também tentar a nossa sorte num jogo de damas com a campeã mundial Darya Tkachenko – e mesmo se as chances de vitória são poucas, foi o que fizemos.

Aproveitámos para ouvir o presidente da Agência Mundial Anti-doping, Craig Reedy, sobre a guerra eterna com um dos maiores males no desporto moderno – o doping:
“Construímos uma relação com a indústria farmacêutica, e assim sabemos o que está a a ser produzido e podemos testar os produtos antes de serem divulgados. Mas são produzidas em todo o mundo drogas ilegais e este é um desafio, sabemos isso.”

Desde maio de 2013, a SportAccord é chefiada pelo presidente da Federação Mundial de Judo, Marius Vizer, que considera como o seu maior desafio a promoção dos desportos menos populares e por isso menos lucrativos:
“Este progresso refletir-se-á também na qualidade dos atletas de topo nos Jogos Olímpicos e noutros eventos importantes. O dinheiro do topo da pirâmide não está a chegar ao nível do financiamento do desporto internacional”.

A SportAссord está a mudar de estratégia e a sair da sombra, com planos para uma grande expansão, alargando o leque de participantes da próxima convenção e organizando competições multi-desportivas – como o Campeonato de Desportos de Combate e o Campeonato de Jogos Mentais.

Veremos qual vai ser a reação do Comité Olímpico Internacional a esta expansão.
Para já, o presidente do Comité Olímpico, Thomas Bach, disse que é necessário o diálogo entre as duas organizações.