Última hora

Última hora

Liverpool chora as 96 vítimas de Hillsborough

Em leitura:

Liverpool chora as 96 vítimas de Hillsborough

Tamanho do texto Aa Aa

O estádio de Anfield, em Liverpool, viveu esta terça-feira momentos de arrepiar ao evocar os 25 anos da tragédia de Hillsborough e homenagear as 96 pessoas que nesse dia perderam a vida por causa de um mero jogo de futebol.

Os presidentes da FIFA e da UEFA, Sepp Blatter e Michel Platini, respetivamente, associaram-se à homenagem através de missivas escritas, na qual expressaram condolências às famílias das vítimas. Por causa da tragédia de Hillsborough, as bandeiras de todas as associações afiliadas à FIFA estiveram esta terça-feira a meia haste.

No estádio, milhares de pessoas recordaram as 96 vítimas. Entre elas, o atual treinador do Everton foi, curiosamente, uma das mais aplaudidas. Roberto Martinez tinha 15 anos quando recebeu a notícia. “Não queríamos acreditar na dor e no terror das famílias ao saberem que os seus entes queridos não iam voltar a casa naquele dia depois de terem ido ver um jogo de futebol. Como é que alguém pode morrer a ver o jogo que ama?”, questionou o espanhol.

Também presente, claro, esteve o atual capitão do Liverpool, que tinha à altura da tragédia oito anos. No passado fim de semana, Steven Gerrard no final da vitória em casa do Liverpool sobre o Manchester City, que reforçou a liderança dos “reds” na Liga inglesa. “A minha reação não foi apenas por ser um jogo importante, mas sim porque esta semana é sempre mais do que apenas futebol para todos nós”, explicou o capitão, que voltou a emocionar-se esta terça-feira.

Tudo aconteceu a 15 de abril de 1989. O Liverpool defrontava o Nottingham Forest, em Sheffield, nas meias-finais da Taça de Inglaterra. A sobrelotação do estádio provocou a morte de 96 pessoas, esmagas ou asfixiadas. 25 anos depois, a Inglaterra ainda chora as vítimas de Hillsborough.