Última hora

Última hora

Bouteflika: O candidato fantasma a caminho de um 4.º mandato na Argélia

Em leitura:

Bouteflika: O candidato fantasma a caminho de um 4.º mandato na Argélia

Tamanho do texto Aa Aa

Quinta-feira, dia de eleições presidenciais na Argélia com vencedor anunciado: O super debilitado Abdelaziz Bouteflika foi um candidato fantasma, mas ninguém tem dúvidas que o político de 77 anos vai ser eleito para um 4.º mandato à frente do país do Norte de África, rico em gás.

Ainda com a memória bem viva do extremismo islâmico e da sangrenta guerra nos anos 90, a maioria dos argelinos afirma escolher Bouteflika porque é o único em que têm “confiança”, apesar do acidente vascular cerebral que sofreu no ano passado.

A oposição duvida da capacidade de Bouteflika para conduzir o país e alguns setores apelaram ao boicote.

Em Argel, um popular afirma que não vai votar “porque os resultados já são conhecidos. O que está a acontecer é uma farsa eleitoral”, afirmou.

Há também quem não vá votar porque não acredita “no programa eleitoral” dos candidatos.

Dividida, a oposição tem em Ali Benflis o seu mais forte candidato. O ex-chefe de governo e antigo aliado de Bouteflika não deve contudo conseguir forçar a uma segunda volta.

23 milhões de eleitores escolhem entre seis candidatos, mas a maior parte faz figura de corpo presente nos cartazes.

Louisa Hanoune é a única mulher. A líder do Partido dos Trabalhadores, deputada desde 1999, candidata-se pela terceira vez. Moussa Touati também se recandidata pelo FNA, partido nacionalista conservador. Ali Fawsi Rebaine apresenta-se pela terceira vez e continua a denunciar os resultados de Bouteflika. Abdelaziz Belaid, antigo membro do FLN, é o candidato mais jovem.

A segurança é a grande prioridade para o escrutínio. Mais de 260 000 polícias foram destacados para evitar incidentes nas 50 mil mesas de voto.