Última hora

Última hora

Coreia do Sul: Choque e angústia após naufrágio de um ferry

Em leitura:

Coreia do Sul: Choque e angústia após naufrágio de um ferry

Tamanho do texto Aa Aa

É o choque e a angústia, na Coreia do Sul, depois do naufrágio de um ferry com 462 pessoas a bordo, na sua grande maioria, estudantes.

Os corpos das primeiras vítimas já chegaram à morgue, enquanto mais de 290 pessoas continuam desaparecidas. Segundo as autoridades, 179 pessoas puderam ser salvas, 55 das quais com ferimentos.

O primeiro-ministro Chung Hong-won visitou os sobreviventes e as famílias das vítimas – maioritariamente adolescentes de um liceu do sul de Seul. Pais e mães inconsoláveis que não conseguem esconder a dor e a raiva.

O ferry efetuava a ligação entre o porto de Incheon e a ilha de Jeju, no sul da península, conhecida como o Hawai sul-coreano, onde os estudantes se deslocavam para uma visita de estudo.

O alarme foi dado durante a manhã de quarta-feira, desencadeando uma operação de salvamento de grande envergadura, mas os especialistas afirmam que muitos dos passageiros podem ter ficado presos no interior da embarcação.

As razões por detrás do naufrágio permanecem por explicar. Testemunhas afirmam que sentiram um impacto seguido de um enorme ruído.

Trata-se do maior desastre marítimo ocorrido na Coreia do Sul em mais de 20 anos.