Última hora

Última hora

Irão: Uma bofetada em vez da morte

Em leitura:

Irão: Uma bofetada em vez da morte

Tamanho do texto Aa Aa

Um iraniano já tinha literalmente a corda na garganta para ser enforcado quando foi perdoado pela mãe do jovem que matou numa rixa entre adolescentes há cerca de 7 anos.

Perante o desespero da mãe do condenado, a mãe da vítima puniu o criminoso com uma bofetada antes de ajudar a retirá-lo da forca.

O caso tinha provocado uma rara campanha de mobilização contra a pena de morte no Irão, um país apenas ultrapassado pela China no número de execuções, segundo os dados da Amnistia Internacional.

Iraque, Arábia Saudita e Estados Unidos da América completam este triste top 5.

Preocupante, é também o facto de as execuções terem aumentado 18% no Irão, em 2013, ano da chegada ao poder de Hassan Rouhani, o Presidente que já conseguiu acabar com uma década de isolamento de Teerão na cena internacional.

Em vez da forca, o assassino vai pagar o chamado “preço do sangue” à família da vítima. São cerca de 42.500 euros que vão ser investidos na abertura de uma escola de futebol em memória do filho.

Entre a teologia dos aiatolas e uma juventude ligada ao mundo, o Irão promete continuar dividido.