Última hora

Última hora

Putin: houve ingerência militar russa na Crimeia, mas não no leste da Ucrânia

Em leitura:

Putin: houve ingerência militar russa na Crimeia, mas não no leste da Ucrânia

Tamanho do texto Aa Aa

Vladimir Putin reconheceu, esta quinta-feira, o envolvimento de tropas russas nos conflitos separatistas na Crimeia, negando ao mesmo tempo a participação do Kremlin nas operações armadas em curso no leste da Ucrânia.
No programa “Linha direta”, transmitido por todas as estações de televisão estatais, o presidente russo respondeu às perguntas dos cidadãos.

Questionado sobre a acusação dos parceiros ocidentais, de um apoio direto de Moscovo aos recentes acontecimentos no leste da Ucrânia, o presidente russo disse que não há na Ucrânia outros elementos envolvidos, para além das populações, acrescentando que a prova disto é que “as pessoas não escondem o rosto”:
“Isso é um disparate. No leste da Ucrânia, não há tropas russas, nem serviços especiais, nem instrutores militares.
Ali está unicamente a população local. A prova é que as pessoas não escondem o rosto.
Foi isto que respondi aos parceiros ocidentais – aquela gente vive ali, não podem sair dali, é com eles que se deve falar.”

Segundo Vladimir Putin, as tropas russas deram apoio direto aos separatistas na Crimeia – com um desempenho exemplar e profissional:
“Precisamente por isso, os nossos homens estiveram a apoiar as forças de auto-defesa na Crimeia. Agiram de forma correta, com determinação e profissionalismo”.

O presidente russo respondeu também a perguntas vindas da Crimeia. Em Sebastopol, onde está instalado o quartel-general da frota russa do Mar Negro, o programa foi acompanhado através de ecrãs gigantes instalados na rua.

Enquanto Vladimir Vladimirovitch desmentia a intervenção de tropas russas no leste da Ucrânia, as forças de segurança ucranianas anunciaram a detenção, na Ucrânia, de cerca de dez cidadãos russos com ligações a atividades de espionagem.