Última hora

Última hora

Ucrânia: A viragem em Mariúpol

Em leitura:

Ucrânia: A viragem em Mariúpol

Tamanho do texto Aa Aa

No rescaldo do confronto de Mariúpol, a Guarda Nacional ucraniana surge com o prestígio e a confiança do governo reforçados.

O assalto à unidade daquela força na noite de quarta para quinta-feira, terminou com três atacantes mortos e 13 feridos.

Uma unidade das forças especiais “Alfa” fez a detenção de 63 indivíduos envolvidos no ataque.“Queriam que abandonássemos a base, mas nem sabíamos para onde queriam que fossemos. Disseram-nos para entregar as armas, mas não sabíamos a quem”, disse Alexander Kalinychenko, segundo comandante da unidade.

O governo ucraniano tem em curso uma operação antiterrorista especialmente difícil, apostado em neutralizar os bandos armados sem fazer vítimas entre a população.

“Espero que Mariúpol tenha dado o empurrão para dizer “não”, aos chamados pró-russos e aos próprios russos”, afirmou um habitante da zona.

Segundo o ministro do Interior, Arsen Avakov, foram encontradas na posse dos assaltantes armas e telemóveis com números de operadores russos.

“Trata-se claramente de um ponto de viragem. Talvez uma mudança de estratégia das forças de segurança ucranianas após as dificuldades vividas na noite anterior na região de Slovyansk​”, sublinhou Sergio Cantone, da Euronews, no local.