Última hora

Última hora

A edição 2014 do Festival de Cinema de Istambul

Em leitura:

A edição 2014 do Festival de Cinema de Istambul

Tamanho do texto Aa Aa

A edição 2014 do Festival de cinema de Istambul chegou ao fim. Ao longo de 15 dias, o público pode ver 230 filmes do mundo inteiro.

Em entrevista à euronews, a diretora do festival destacou os pontos fortes do evento.

“Istambul é uma ponte entre a Europa e a Ásia e é por isso que a nossa secção de coproduções se chama “Encontro na ponte”. Queríamos juntar cineastas europeus e do mundo inteiro, realizadores turcos e o público”, disse Azize Tan, diretora do festival turco.

Em Cannes há a palma de ouro, em Istambul as distinções chamam-se “Tulipas douradas”.

Este ano o grande prémio do festival foi para “Blind” do realizador norueguês de Eskil Vogt. O filme retrata uma jovem que perdeu a vista.

“No início tive a ideia da cegueira e pensei que era algo interessante para o cinema. Pensei que podíamos jogar com isso e durante a pesquisa para o filme encontrei pessoas que perderam a vista e por isso a tragédia humana também faz parte da história”, explicou o realizador.

Tayfun Pirsemlioğlu venceu a Tulipa de Ouro para melhor filme turco com “I Am Not Him”.

“A história fala de mudança de identidade, fala de um homem que trabalha na cantina de um hospital e que se transforma noutra pessoa, o que vai mudar a sua vida de uma forma imprevisível”, contou o realizador.

“I Am Not Him” conta a história de um homem de meia-idade que conhece a esposa de um detido e pouco a pouco recupera a identidade do marido ausente.

A atriz turca Vahide Perçin venceu a Tulipa de Ouro para melhor atriz pelo papel em “Ayhan Hanim”, um drama de contornos políticos em torno do golpe de estado turco de 1980.