Última hora

Última hora

Ucrânia: MNE condena rapto de jornalistas à chegada de Biden a Kiev

Em leitura:

Ucrânia: MNE condena rapto de jornalistas à chegada de Biden a Kiev

Tamanho do texto Aa Aa

Joe Biden já está em Kiev. O vice-presidente norte-americano envia um sinal forte do apoio dos Estados Unidos às autoridades ucranianas, quando Moscovo as acusa de violação do acordo de Genebra.

Biden, que deverá encontrar-se com o presidente e o primeiro-ministro ucranianos, foi recebido pelo chefe da Diplomacia. Andrii Deschytsia garantiu que o diálogo intensivo vai continuar e condenou os mais recentes acontecimentos violentos no leste do país.

“Acreditamos que os Russos, tal como nós, vão condenar as ações extremistas levadas a cabo, nomeadamente o rapto de jornalistas e de civis. Não é nada mais do que terrorismo”, afirmou o Ministro dos Negócios Estrangeiros (MNE) da Ucrânia.

Uma das jornalistas em causa é Irma Krat, uma ucraniana de 29 anos, detida domingo por militantes pró-russos, em Sloviansk, e agora autorizada a falar aos media.

“Deram-me comida e bebida. Ninguém me violentou. Por vezes, tentaram amedrontar-me. Mas se tivesse sido algo sério, eu já o teria dito”, garantiu a jornalista que regressou, depois, ao edifício de onde saíra, apesar de os raptores garantirem que não está detida.

Os separatistas anunciaram, entretanto, a libertação de um grupo de militares ucranianos capturados a semana passada, em Kramatorsk, enquanto se continua sem notícias de um outro jornalista ucraniano que, segundo os familiares, terá sido detido em Slaviansk.