Última hora

Última hora

República Centro-Africana: Islâmicos fogem de Bangui

Em leitura:

República Centro-Africana: Islâmicos fogem de Bangui

Tamanho do texto Aa Aa

Cerca de uma centena de muçulmanos – a maioria mulheres e crianças – foram escoltados esta segunda-feira, na República Centro-Africana (RCA), da Bangui para Bambari, 300 quilómetros a nordeste da capital, sob proteção de capacetes azuis franceses.

Os refugiados habitavam no PK-12, um bairro de Bangui de supremacia islâmica e que, desde a queda do poder do grupo muçulmano Seleka em janeiro, tem sido alvo de recorrentes ataques seletivos pelas milícias cristãs anti-Balaka.

Escoltado por cerca de 150 militares franceses, apoiados por um helicóptero, o comboio de refugiados passou inclusive por um bairro de supremacia cristã, mas sem registo de confrontos.

A MISCA, a forças de paz africana presente no país, mantém-se alerta para evitar novos ataques étnicos, os quais são a principal razão para os mais de um milhão de deslocados verificados na RCA desde que os confrontos entre cristãos e muçulmanos se agravaram em finais de 2012. Cerca de 200 mil pessoas já fugiram mesmo do país desde dezembro, com as Nações Unidas a estimar que mais 160 mil sigam os mesmos passos no decorrer deste ano.

Muitos refugiados islâmicos têm sido acolhidos, curiosamente, em igrejas cristãs. Nomeadamente na cidade de Carnot, a ocidente, onde a igreja local acolhe atualmente cerca de 900 refugiados. O padre Dieu-Beni Bikowo salienta a ajuda que twm sido prestada sem discriminação de fé. “Muitas pessoas dizem que esta é uma guerra religiosa. Mas o que sabemos é que desde que os muçulmanos aqui chegaram, foram os cristãos os primeiros a sair em sua ajuda”, afirmou o pároco centro-africano.