Última hora

Última hora

Colômbia presta tributo a García Márquez

Em leitura:

Colômbia presta tributo a García Márquez

Tamanho do texto Aa Aa

Depois da Cidade do México, foi a vez de Bogotá, a capital da Colômbia, prestar tributo a Gabriel García Márquez, um dos maiores vultos da literatura latino-americana, que faleceu na semana passada aos 87 anos.

Centenas de anónimos e personalidades colombianas reuniram-se, esta terça-feira, na Catedral de Bogotá para um último adeus ao seu conterrâneo, numa altura que há alguma controvérsia sobre onde enterrar as cinzas do escritor.

Para a ministra da Cultura da Colômbia, “Gabo foi um escritor partilhado por dois países. Radicou-se no México e os mexicanos tiveram muito afeto por ele e pela sua família. Mas a decisão de enterrar as cinzas no México ou noutro lado é uma decisão do foro estritamente privado da família”, afirmou ao microfone da euronews.

O diretor do Fundo Nacional de Jornalistas Ibero-americanos, Jaime Abello Banfi, sugere que, dado García Márquez ter constituído família no México, apesar de ser colombiano, tal como a mulher, “talvez fosse possível dividir as cinzas entre os dois países”.

O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, encabeçou a comitiva oficial na homenagem ao prémio Nobel da Literatura de 1982.

A Colômbia prepara uma lei para permitir que o rosto de García Márquez seja colocado em notas e que o nome do autor de “Cem anos de solidão” possa ser dado ao novo edifício do Congresso.