Última hora

Última hora

Israel suspende negociações de paz depois de acordo entre Hamas e Fatah

Em leitura:

Israel suspende negociações de paz depois de acordo entre Hamas e Fatah

Tamanho do texto Aa Aa

Israel suspendeu as negociações de paz com os palestinianos, depois do Fatah, de Mahmud Abbas, e do movimento radical islâmico Hamas terem assinado um acordo para formar um governo de coligação.

O governo do primeiro-ministro, Benjamin Netanyahu, defende que Israel não vai negociar com um governo que inclua o Hamas, que considera uma “organização terrorista”.

A decisão não surpreendeu o Hamas mas causou estupefação no Fatah.

“A posição israelita era esperada. Esta é a ocupação e, absolutamente, não querem que o povo palestiniano se una e querem que a divisão continue”, afirmou o líder do Hamas, Esmail Haniyeh.

Já o dirigente palestiniano, Mustafa Barghouti, acredita que “a declaração israelita contra este acordo de unidade é muito estranha… Quando estamos divididos, Netanyahu afirma que não consegue encontrar um palestiniano que possa representar todos os palestinianos e, portanto, não pode fazer a paz. Quando estamos unidos, afirma que não pode fazer a paz com uma frente palestiniana unida”, conclui.

Os Estados Unidos da América afirmam estar dececionados com este acordo, pois pode complicar os esforços para relançar o processo de paz.

“Existe, sempre, uma maneira de avançar mas os líderes têm chegar ao compromisso necessário para isso. Podemos ver o caminho que temos de seguir mas se eles não estiverem dispostos a assumir os compromissos necessários para a paz, será ilusório”, assegura o secretário de Estado norte-americano, John Kerry.

O acordo entre o Hamas e o Fatah foi assinado, na quarta-feira, em Gaza. Prevê a formação de um governo de “consenso nacional” e a realização de eleições no fim do ano.

O documento surge numa altura em que as negociações de paz entre Israel e a Palestina estão num impasse, desde que foram relançadas em 2013, sob a égide dos Estados Unidos.