Última hora

Última hora

Naufrágio na Coreia do Sul: demissão do primeiro-ministro efetiva após fim de operações de resgate

Em leitura:

Naufrágio na Coreia do Sul: demissão do primeiro-ministro efetiva após fim de operações de resgate

Tamanho do texto Aa Aa

O primeiro-ministro sul-coreano demitiu-se em direto, na televisão, assumindo pessoalmente a responsabilidade pela má gestão, por parte do governo, do naufrágio que fez mais de 300 mortos e desaparecidos no passado dia 16.

A presidente sul-coreana aceitou a demissão de Chung Hong-Won, mas esta só surtirá efeito quando estiverem concluídas as operações de resgate. Cento e catorze pessoas estão ainda dadas como desaparecidas e, mais de dez dias depois da tragédia, é muito pouco provável que sejam encontradas com vida.

O último balanço oficial, anunciado este domingo, aponta para 188 mortes confirmadas.

Os 15 membros da tripulação do “ferry” que sobreviveram estão todos detidos, acusados de negligência e abandono dos passageiros.

Junto à Câmara Municipal de Seul foi edificado um memorial provisório que tem registado um importante afluxo de sul-coreanos, que fizeram questão de prestar homenagem às vítimas da tragédia que comoveu o país.