Última hora

Última hora

Boeing 777: Buscas podem demorar um ano

Em leitura:

Boeing 777: Buscas podem demorar um ano

Tamanho do texto Aa Aa

Pode levar um ano até ser encontrado o Boeing 777, da Malasya Airlines, que desapareceu há quase dois meses, com mais de 200 pessoas a bordo.

As buscam entraram numa nova fase, os meios aéreos foram postos de lado e intensificaram-se as buscas com recurso a um mini-submarino Bluefin-21. Até ao momento este aparelho não encontrou sinais da aeronave.

Na segunda-feira o ministro dos transportes malaio viaja para Camberra:

“Vamos reunir com China e Austrália para discutir e espero que isso nos traga novas abordagens em relação à implantação de ativos, envolvimento com as famílias, especialistas e aconselhamento técnico que vem de todo o mundo”, explica o ministro dos transportes da Malásia.

A Malasya Airlines anunciou, na quinta-feira, que vai encerrar os centros de assistência, que abrigam familiares dos passageiros, em Pequim e Kuala Lumpur, no próximo dia 7. Uma decisão que revolta as famílias:

“Queremos ficar aqui porque não acreditamos que a Malaysia Airlines possa proporcionar uma plataforma de comunicação. De cada vez que alguma coisa acontece não são capazes de transmitir a mensagem a todos os familiares. Alguns podem acabar por ser ignorados”, afirma Steve Wang, representante dos familiares dos passageiros desaparecidos.

Segundo um relatório preliminar, do Ministério dos Transportes malaio, as autoridades não se terão apercebido do desaparecimento do voo dos radares durante cerca de dezassete minutos e levaram quatro horas a ativar a operação de busca.

Quanto à companhia aérea, vai começar a pagar as compensações financeiras mas sem dizer o valor.