Última hora

Última hora

Kiev e Moscovo trocam acusações sobre violência em Odessa

Em leitura:

Kiev e Moscovo trocam acusações sobre violência em Odessa

Tamanho do texto Aa Aa

A cidade portuária de Odessa, no sul da Ucrânia, está de luto. Aqui morreram, na véspera, mais de 40 pessoas, a maioria num incêndio de origem criminosa.

As vítimas, separatistas pró-russos, tinham-se refugiado num edifício da cidade depois de terem atacado uma manifestação a favor do governo de Kiev.

O episódio já é considerado como o mais sangrento na Ucrânia desde finais de fevereiro.

O governo ucraniano decretou dois dias de luto nacional e demitiu o responsável da polícia regional.

Kiev acusa Moscovo de estar por detrás da onda de violência na cidade.

“As provocações e os confrontos que se registaram na cidade de Odessa a 02 de maio e que provocaram dezenas de vítimas são fruto de ingerências externas. Estas atividades são financiadas por grupos próximos de Viktor Ianukovich e pela Federação Russa” refere Kateryna Kosareva, porta-voz dos Serviços de Segurança ucranianos.

Moscovo contra-ataca através de Dmitry Peskov, porta-voz do chefe de Estado russo: “na origem da tragédia em Odessa estão grupos nacionalistas e radicais com autorização de Kiev para queimar pessoas desarmadas. As autoridades de Kiev são não só responsáveis pelo que aconteceu, mas também cúmplices.”

Mais de 200 pessoas conseguiram escapar com vida. Cerca de 40 morreram intoxicadas, outras quando se atiraram do prédio ao tentar fugir.

Dezenas continuam hospitalizadas.