Última hora

Última hora

Nações Unidas: Rússia e Estados Unidos trocam acusações no Conselho de Segurança

Em leitura:

Nações Unidas: Rússia e Estados Unidos trocam acusações no Conselho de Segurança

Tamanho do texto Aa Aa

Com a violência a aumentar no leste da Ucrânia e a alastrar para sul, em Nova Iorque decorreu sexta-feira, a pedido da Rússia, uma reunião de emergência do Conselho de Segurança das Nações Unidas. O escalar de violência na Ucrânia foi o prato forte, tendo a reunião servido sobretudo para trocas de acusações entre os embaixadores da Rússia e dos Estados Unidos.

Vitaly Churkin expressou o apelo de Moscovo “a Kiev, aos seus apoiantes e aos signatários da convenção de Genebra – os Estados Unidos e a União Europeia – para que não cometam erros criminosos”. “É tempo de os aliados ocidentais pensarem duas vezes, de chamarem à razão aqueles que orientam na Ucrânia e que parem de brincar com o destino do povo ucraniano, em nome dos seus próprios objetivos geopolíticos”, acusou o embaixador russo na ONU.

Do lado americano, Samantha Power considerou “o facto de a Rússia ter decidido convocar uma reunião de emergência em protesto” como “outro indicador de que os responsáveis em Moscovo ou subestimam a inteligência do resto do mundo ou estão a tentar replicar no leste da Ucrânia a charada de que foram responsáveis na Crimeia”. “Sentimo-nos indignados por isso, mas não nos deixamos enganar”, advertiu a diplomata norte-americana.

A embaixadora norte-americana na ONU acusou ainda a Rússia de estar a tentar encontrar um pretexto para invadir a Ucrânia e referiu-se ao abate de dois helicópteros das forças militares ucranianas por rebeldes pró-russos como uma evidência de que Moscovo estará a apoiar estes grupos armados.

Barack Obama e Angela Merkel, entretanto, também se reuniram, esta sexta-feira, em Washington. Entre vários temas em agenda, com a Ucrânia como pano de fundo, a possibilidade de serem aplicadas mais sanções à Rússia foi abordada entreo presidente americano e a chanceler alemã.