Última hora

Última hora

Reino Unido: Oito anos de prisão para celebridade por abuso sexual de menor

Em leitura:

Reino Unido: Oito anos de prisão para celebridade por abuso sexual de menor

Tamanho do texto Aa Aa

Caiu em desgraça e numa cela de prisão o antigo representante de personalidades como OJ Simpson ou Simon Cowell. Reconhecido como um dos maiores relações-públicas do Reino Unido, Max Clifford, de 71 anos, foi condenado esta sexta-feira a oito anos de prisão por abuso sexual de jovens mulheres, pelo menos uma delas teria na altura 15 anos.

O famoso agente de celebridades foi considerado culpado pelo tribunal londrino em oito processos de agressão sexual, o que resulta numa sentença acumulada de oito anos de prisão, por crimes ocorridos entre 1977 e 1984.

Max Clifford é o primeiro condenado ao abrigo da “Operação Yewtree”, uma investigação especial aberta em outubro de 2012 depois de ter sido emitido pelo canal britânico ITV um polémico documentário sobre a vida do apresentador de televisão da BBC Jimmy Saville, que morreu em 2011, aos 84 anos. No documentário, apresentado por um antigo investigador policial, várias mulheres acusaram Saville de as ter violado quando eram adolescentes. Após o programa, outras mulheres agredidas decidiram seguir o exemplo.

A polícia metropolitana de Londres abriu uma investigação e outras celebridades britânicas foram arroladas ao processo. O músico Gary Glitter, de 69 anos, que já tinha cadastro por abuso sexual de menores, foi detido logo no final de outubro de 2012, no âmbito do caso, e alguns meses depois outro apresentador de televisão que chegou a privar com a Rainha de Inglaterra, o australiano Rolf Harris, de 84, também foi detido. Ambos acabaram por ser libertados sob fiança. Mas há mais celebridades sob investigação.

O “último “colunável” a ser detido foi Max Clifford”:http://pt.euronews.com/2012/12/07/mais-uma-figura-publica-detida-no-escandalo-sexual-que-abala-o-reino-unido/, que acabou condenado esta semana com a sentença a ser conhecida esta sexta-feira. Para o juiz, Clifford terá de cumprir pelo menos metade da pena.

As autoridades britânicas prometem não ficar por aqui, num caso onde surgiram já mais de 500 vítimas . “Os nossos agentes especiais vão continuar a trabalhar com os colegas da Procuradoria da Coroa para trazer à justiça todos os agressores sexuais, sejam eles recentes ou não. Nos últimos 12 meses, assistimos a um aumento de mais de 1400 alegados abusos sexuais reportados à polícia metropolitana”, afirmou à imprensa Micheal Orchard, o inspetor-chefe da polícia metropolitana de Londres.