Última hora

Última hora

EUA: Segundo poluente do mundo é dos mais afetados

Em leitura:

EUA: Segundo poluente do mundo é dos mais afetados

Tamanho do texto Aa Aa

É preciso preparar-se agora para as mudanças climáticas, adverte um novo relatório do governo norte-americano. Não só todo o território americano é afetado, como as consequências vão ser devastadoras para a economia e para a saúde pública dos Estados Unidos. As condições meteorológicas extremas, como os tornados no Arkansas, no mês passado, serão cada vez mais frequentes.

O Relatório Federal foi elaborado, durante quatro anos, por mais de 300 cientistas. John Holdren, consultor científico do presidente Obama não deixa margem para dúvidas:

- A questão de fundo individual mais importante que ressalta de centenas e centenas de páginas é que a mudança climática não é uma ameaça distante. É algo que está a acontecer neste momento e afetar o povo americano, de modo significativo.

Uma das mais graves consequências, citada no relatório, é a multiplicação de incêndios florestais, nomeadamente na Califórnia. Com o prolongamento dos verões o aumento de temperatura é extremamente elevado .

A seca, já severa até agora, ainda se agrava mais na califórnia, que sofre vagas de calor extremo, provocando a subida da temperatura em todos os Estados Unidos, que já atinge mais 1° celsius do que em 1880. O ano de 2012 ficou marcado por um verão seco seguido pelo devastador furacão Sandy – foi aliás o verão mais quente da história dos Estados Unidos.

Na representação gráfica podevm ver-se as previsões de penúrua de água por causa do aquecimento global. As zonas vermelhas, com uma alteração que pode ir de 26% a 50% cobrem grandes porções do país.

O relatório assinala como causa principal do aquecimento global a emissão dos gases com efeito de estufa devido à combustão de carvão para obter eletricidade, ao consumo do petróleo e do gás, aos escapes dos automóveis e camiões e à desflorestação. Os Estados Unidos, que são o maior poluidor e não assinaram o acordo de Quioto, sofrem agora as piores consequências…

Chegámos à hora da ação política, segundo o especialista em aquecimento global, Michael B. Gerrard:

“- O presidente apresentou um plano para o clima que prevê uma série de medidas administrativas, pois o Congresso não as vai tomar nos próximos anos. E o primeiro ponto que salta à vista é um pacote de medidas a aplicar nas centrais térmicas de carvão, que são a primeira fonte de emissões de gaz com efeito estufa nos Estados Unidos.”

O relatório antecipa as críticas dos mais céticos, multiplicando os exemplos da realidade do fenómeno e da sua origem humana para melhor preparar a opinião pública americana.

National Climate Assessment (English)