Última hora

Última hora

"Palavras vãs": Kiev não acredita no recuo de Putin

Em leitura:

"Palavras vãs": Kiev não acredita no recuo de Putin

Tamanho do texto Aa Aa

Numa tentativa de demonstrar que Kiev ainda não perdeu a mão no leste da Ucrânia, o primeiro-ministro interino visitou, esta quarta-feira, as tropas que combatem os separatistas.

Arseni Iatseniuk passou junto às cidades de Slaviansk e Kramatorsk e, em Kharkiv, considerou que as últimas declarações de Vladimir Putin são “palavras vãs”.

Em relação ao “facto da Rússia ter apelado ao adiamento de um referendo no dia 11 de maio, penso que é necessário informar o presidente russo que não há qualquer referendo planeado” para essa data. “Mas se os terroristas e os separatistas apoiados pela Rússia receberam uma ordem para adiar algo que não existe, isso é um assunto interno deles”, afirmou Iatseniuk.

Nos delicados jogos de guerra em curso na antiga Europa de Leste, o Kremlin pareceu recuar após o encontro de Putin com o presidente em exercício da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE), que esteve em Moscovo.

Putin não só apelou ao adiamento do referendo em Donetsk, como afirmou que a Rússia retirou as suas tropas da fronteira junto à Ucrânia, algo de que os Estados Unidos e a NATO afirmam ainda não ter provas.

O senhor do Kremlin também considerou que as “presidenciais agendadas em Kiev são um passo no bom sentido. Mas não irão resolver nada se os cidadãos da Ucrânia não entenderem como os seus direitos serão protegidos após as eleições”.

Esta quinta-feira, aguarda-se uma resposta dos separatistas ao apelo de Putin para um adiamento do referendo. Entretanto, em Donetsk, prosseguem os preparativos para um voto, já neste fim de semana, que pode ser o da cisão.