Última hora

Última hora

Ucrânia: Governo e cidadãos de Kiev rejeitam referendos do leste

Em leitura:

Ucrânia: Governo e cidadãos de Kiev rejeitam referendos do leste

Tamanho do texto Aa Aa

Longe da turbulência do leste do país, na capital da Ucrânia os referendos realizados na zona de Donbass foram acompanhados com tristeza. A maioria dos habitantes de Kiev rejeita os sufrágios separatistas realizados nas regiões de Donetsk e Luhansk.

O governo interino da Ucrânia, através do responsável pelo gabinete presidencial, reiterou como ilegítimos os referendos. “Não teve nada a ver com procedimentos legais. Isto não foram referendos. Foi uma miserável tentativa por terroristas, por bandidos, por assassinos, de usar o nome do povo de Donetsk e Luhansk como cobertura para as suas ações”, declarou Serhiy Pashynksyi.

A correspondente da euronews em Kiev andou pelas ruas da capital. Angelina Karyakina ouviu o que alguns ucranianos têm a dizer dos referendos no leste do país. “Estes referendos são ilegais. Ainda se fosse a nível nacional, aí, sim, os ucranianos poderiam realmente votar algumas decisões. Agora, a opinião de 100, ou mil pessoas que sejam, não pode ser a decisão de um país”, afirmou uma cidadã de Kiev. Um homem defendeu que um referendo é “suposto ser a expressão da vontade da população local, mas”, acusou, “outras pessoas estão a decidir no lugar do povo.”

Sublinhando que “o governo da Ucrânia não reconhece o referendo que decorreu no leste do país”, a nossa correspondente em Kiev conta-nos que o executivo à frente do parlamento ucraniano “assegura que votação não terá quaisquer consequências legais na integridade do território da Ucrânia”. “A principal tarefa do governo será, agora, estabelecer uma ponte de diálogo com o leste do país e tentar que os partidos regionais legítimos comecem a negociar”, concretiza Angelina Karyakina.