Última hora

Última hora

Blondie sopram 40 velas e lançam "Ghosts of Download"

Em leitura:

Blondie sopram 40 velas e lançam "Ghosts of Download"

Tamanho do texto Aa Aa

É com o lançamento do décimo álbum de originais, Ghosts of Download”, que os Blondie celebram este ano quatro décadas de existência. Com uma pausa de 15 anos pelo meio (1982-1997), o grupo de “Heart of Glass” e “Call Me” voltou em força no final dos anos 90, altura em que lançou o mui aguardo “The Hunter”, antecedido pelo incontornável single “Maria. A trabalhar nos novos temas desde o ano passado, do novo disco agora lançado foram já extraídos três singles: “A Rose by Any Name”, “Sugar on the Side” e “I Want to Drag You Around.”

O guitarrista Chris Stein, namorado da vocalista Debie Harry durante a primeira encarnação dos Blondie (separaram-se no final dos anos 80), diz que a forma de trabalhar foi a mesma de sempre. “A maioria do nosso trabalho neste disco não vem de um plano mestre. É apenas um avançar passo a passo. É sempre assim. Há uma atitude DIY (‘faz tu mesmo’) nos Blondie que agrada às pessoas. Num tivemos assessores de imagem nem nada dessas coisas. Nem nunca houve um grande plano musical – as músicas simplesmente se foram desenvolvendo. Penso que se houver alguma semelhança entre os temas será apenas porque foram feitos na mesma altura”, garante o músico, de 64 anos.

O grupo formou-se em 1974, após o casal Stein e Harry deixarem os The Stiletos. começaram por encontrar o sucesso na Austrália e somente ao terceiro álbum, “Parallel Lines”, conseguiram afirmar-se nos Estados Unidos, empurrados pelo impacto de “Heart of Glass”. Ao sexto álbum, “Hunter”, lançado em 1982, a turbulência no seio do grupo já era grande. A ela não era alheia a carreira a solo em crescendo, incluindo no cinema, de Debbie Harry e o deststre comercial de “Hunter”. Stein foi diagnosticado com uma doença rara, Pênfigo, e, tudo misturado, nesse mesmo ano o grupo separou-se.

Voltariam a juntar-se em 1997. Lançaram mais três álbuns até 2011 e agora juntam-lhe um quarto após a pausa, o 10.° da carreira. Para marcar os 40 anos juntam-lhe também uma compilação de êxitos intitulada “Blondie 4(0) Ever”. Debbie Harry salienta que “o mais importante desta compilação é a quantidade de pessoas que contribuíram para ela”. “E isso, como sabem, é algo bastante raro para um álbum dos Blondie”, acrescenta a loura de 68 anos e um dos ícones da revolução Punk que ocorreu em Nova Iorque nos anos 70, nomeadamente no palco do clube CBGB.

Os Blondie vão andar em digressão pela Europa a celebrar os 40 anos de carreira e o lançamento do 10.° disco de originais. Até ver, o mais perto de Portugal onde vão atuar é Barcelona, em Espanha, a 3 de julho.