Última hora

Última hora

Cannes 2014: Polémica real no "maior festival de cinema do Mundo"

Em leitura:

Cannes 2014: Polémica real no "maior festival de cinema do Mundo"

Tamanho do texto Aa Aa

Abre esta quarta-feira a 67.a edição do Festival de Cinema de Cannes, em França. O cartaz deste ano apresenta-nos uma singela amostra do que tem sido feito em Hollywood, mas conta ainda assim com um excelente lote de estrelas como o realizador de “O Artista”, Michel Hazanavicius, os atores Nicole Kidman e Tommy Lee Jones, os realizadores David Cronenberg e Abel Ferrara ou o produtor português Paulo Branco.

O diretor de Cannes, Thierry Fremaux, garante que não há outro festival igual. “Cannes ainda é o maior festival de cinema do Mundo e por muitas, muitas razões, as quais fazem com que Toronto, Berlim ou outro qualquer não consigam competir connosco. Temos de pensar também no futuro e felizmente ele está escancarado”, aponta o Fremaux.

Um dos filmes mais aguardados e dos mais controversos no cartaz é “Grace de Mónaco”, com Nicole Kidman, que tem estreia prevista em Portugal a 22 de maio. A família real do Mónaco distanciou-se do filme e acusou o realizador de adulterar a história por motivos comerciais. Olivier Dahan defendeu-se, afirmando que nunca pretendeu fazer um filme biográfico e reclamando o direito a ficcionar um pouco a história da princesa. “Grace de Monaco” foi o filme escolhido para abrir esta edição do Festival de Cannes.

Também no cartaz deste ano em Cannes encontramos, “The Captive”, ainda sem nome em português. Dirigido pelo egípcio naturalizado canadiano Atom Egoyan, o filme centra-se no rapto de uma menina, da qual o pai – interpretado por Ryan Reynolds – vai encontrar oito anos depois algumas pistas que o levam a acreditar que a filha ainda está viva.

Outro nome grande este ano em Cannes é o de Tommy Lee Jones. Desta feita, o ator norte-americano, de 67 anos, assume também a cadeira de realizador e divide o estrelato da interpretação com Hilary Swank e com a recém oscarizada Meryl Streep.

“The Homesman”, também ainda sem título em português nem data de estreia em Portugal, faz parte da competição oficial, numa lista onde também se destacam “Maps to the Stars”, de David Cronenberg; “Foxcatcher”, de Bennet Miller; “Adieu au Langage”, de Jean-Luc Godard; ou “The Search”, de Michel Hazanavicius.

Na secção secundária, denominada “Un Certain Regard”, destaque para a estreia na realização do ator Ryan Gosling, com “Lost River”; “Incompresa”, dirigido pela filha de Daria Argento, Asia; ou “The Blue Room”, de Mathieu Amalric, com produção do português Paulo Branco.

Fora de competição, sessão especial para “Welcome to New York”, de Abel Ferrara, um filme inspirado nas histórias polémicas protagonizadas por Dominique Strauss-Kahn, o antigo diretor do FMI.

A cópia restaurada de “Por um Punhado de Dólares”, de Sérgio Leone, foi o filme escolhido para encerrar, a 24 de maio, a edição deste ano do Festival de Cannes e vai contar com apresentação a cargo de Quentin Tarantino.