Última hora

Última hora

Mineiros: canhões de água e balas de borracha contra revolta em Soma

Em leitura:

Mineiros: canhões de água e balas de borracha contra revolta em Soma

Tamanho do texto Aa Aa

Foi desta forma que a polícia dispersou uma manifestação em Soma, no oeste da Turquia.

Canhões de água, gás lacrimogéneo e balas de borracha serviram para silenciar uma marcha de protesto contra a insegurança nas minas do país.

Milhares de pessoas de diferentes partes da Turquia rumaram a Soma, esta sexta-feira, para pedir contas ao governo que responsabilizam pela morte de cerca de 300 mineiros.

Na mira dos protestos está o primeiro-ministro, Recep Tayyip Erdogan. Os manifestantes acusam o chefe de governo de relegar as condições de trabalho dos mineiros para segundo plano e de, apenas, se preocupar com as privatizações.

Em curso está já uma investigação.

Um porta-voz do AKP, partido no poder, insiste que a mina de carvão – palco do acidente – foi alvo de 11 inspeções nos últimos cinco anos.Argumentos que não aliviam a dor e a revolta dos habitantes de Soma.

“Preferia estar morto. Tenho estado na rua desde o dia em que ocorreu o acidente. Não me lembro quando comi pela última vez. Já não sei o que faço, nem quem sou” refere um homem.

De acordo com o governo turco pelo menos 18 trabalhadores continuam encurralados na mina de carvão.