Última hora

Última hora

Suíça referenda o salário mínimo mais elevado do mundo

Em leitura:

Suíça referenda o salário mínimo mais elevado do mundo

Tamanho do texto Aa Aa

A questão que os suíços vão levar a referendo, este domingo, irá determinar se o país passa ou não a ter um salário mínimo. Se o “sim” ganhar, o vencimento mínimo terá como valor referência a quantia de 3200 euros por mês. Ou seja, será o montante mais elevado a nível mundial, praticamente o dobro da França e da Alemanha, por exemplo.

Uma possibilidade que alguns vêem com bons olhos. Thomas Delicado, um cidadão suíço, tem residência em França, onde as rendas são consideravelmente mais baixas. É a favor do salário mínimo.

Mas as últimas sondagens dizem que cerca de 60% da população é contra. O especialista em Ciências Políticas da Universidade de Genebra, Pascal Sciarini, explica porquê: “na realidade subsiste a noção, muito interiorizada pelos suíços, de que ser demasiado ambicioso, procurar um melhor salário, ter mais férias, pode acabar por produzir consequências negativas ao nivel macro-económico e, um dia, virar-se mesmo contra os trabalhadores, porque pode gerar mais desemprego”.

Numa população de cerca de oito milhões, a medida pode abranger perto de 330 mil pessoas. A plataforma sindical SGB e o Partido Socialista apelam ao “sim”, argumentando com os elevadíssimos custos de vida, sobretudo em Genebra e Zurique, os mais altos do mundo.

Num país que limitou recentemente a imigração europeia, o ministro da Economia veio declarar que o salário mínimo não pode avançar, porque irá colocar em risco a competitividade suíça e provocar mais desemprego.