Última hora

Última hora

Antigo corretor da Société Génerale preso por fraude financeira

Em leitura:

Antigo corretor da Société Génerale preso por fraude financeira

Tamanho do texto Aa Aa

O antigo corretor francês considerado responsável por uma perda recorde do banco Société Générale em 2008 prepara-se para começar a cumprir uma pena de três anos de anos de prisão efetiva.

Jérôme Kerviel regressou este domingo a França, cruzando a fronteira do país com Itália a pé. À chegada à cidade de Menton, já em território francês, foi detido à meia-noite, a hora limite que Kerviel tinha para se apresentar às autoridades.

Seguido de perto por um grupo de apoiantes, foi depois encaminhado para uma esquadra na cidade fronteiriça, antes de ser trasladado para a cidade de Nice, já na manhã desta segunda-feira.

Em declarações aos jornalistas Kerviel demarcou-se das acusações de desonestidade: “Nunca estive em fuga. Nunca quis escapar. Sempre quis assumir a responsabilidade.”

Na luta pela defesa da inocência, Kerviel rumou a Itália para se encontrar com o Papa.

Apelou ao presidente François Hollande para intervir, mas como resposta o gabinete Hollande disse que consideraria um pedido específico de perdão conforme o procedimento usual.

Entre palmas e assobios, o antigo corretor alega que a Société Générale viu com bons olhos as manobras de especulação enquanto foram rentáveis.

Jérôme Kerviel é, entre outras coisas, acusado de realizar especulações financeiras em mercados de risco sem o conhecimento de superiores hierárquicos.

Um relatório interno da Société Générale descobriu que os gerentes falharam em monitorizar 74 alarmes diferentes sobre as atividades de Kerviel.