Última hora

Última hora

Bulgária: A nova plataforma de componentes para automóveis

Em leitura:

Bulgária: A nova plataforma de componentes para automóveis

Tamanho do texto Aa Aa

A Bulgária ainda não produz carros, como a vizinha Roménia, mas está a tornar-se uma plataforma mundial em componentes para automóveis.

Vindas da China, África do Sul, Estados Unidos, Canadá, Japão ou Europa, há dezenas de empresas que estão a investir na produção de peças no país mais pobre da União Europeia. São atraídas pela situação geográfica, os custos da mão-de-obra, mas também pelos incentivos do governo.

Kostadin Djatev, vice-diretor da agência búlgara do investimento, explica: “O fardo fiscal para as empresas na Bulgária é um dos mais baixos da União Europeia. Além disso, temos a lei de promoção de investimento, por isso, as empresas, que certificamos, podem receber outras vantagens, como por exemplo, o reembolso da segurança social”.

Com 3,40 euros, a Bulgária tem o custo da mão-de-obra industrial mais baixo da União Europeia. O mais alto é na Suécia, onde a tarifa horária supera os 45 euros.

A média da União Europeia é de 24,60 euros.

Em Portugal, um empregado da indústria ganha em média 10,10 euros, de acordo com os dados do Eurostat para 2013.

O setor de componentes para automóveis duplicou as receitas nos últimos cincos anos. Atinge já mil milhões de euros, representa quase 5% das exportações da Bulgária e 2,5% do PIB do país.

Mas Sofia tem de resolver ainda muitos problemas.

A rede rodoviária do país é fraca, os empresários queixam-se da enorme burocracia e do baixo nível do sistema de ensino búlgaro.