Última hora

Última hora

Irão: Envolvidos em teledisco "feliz" são presos pelas autoridades

Em leitura:

Irão: Envolvidos em teledisco "feliz" são presos pelas autoridades

Tamanho do texto Aa Aa

A gravação de um teledisco amador, tendo por base o tema “Happy”, o mais recente sucesso musical a solo do norte-americano Pharrell Williams, dos N.E.R.D., custou a prisão a pelo menos oitos pessoas no Irão. Publicado no final de março na Internet, através da rede Youtube, o video tem vindo a colecionar visualizações – já ultrapassou as 50 mil -, mas Teerão não gostou e considerou-o um insulto.

O Irão é um país de forte expressão religiosa e regido por leis baseadas no islamismo, limitativas em especial para as mulheres. Confrontados com o vídeo, os responsáveis consideraram-no “degradante” e alegam que “feriu a castidade do público na Internet”, tendo ordenado a detenção dos envolvidos na produção do mesmo.

“Eles foram identificados no espaço de duas horas e seis horas depois estavam presos. Asseguro-vos de que a polícia é muito rápida a reagir a este tipo de coisas, a encontrar e a identificar estes indivíduos. Nós identificamos estas pessoas e sabemos lidar com elas”, afirmou Hossein Saajedi-Nia, o chefe da polícia de Teerão, falando a uma estação de televisão iraniana, junto dos supostos detidos e como se o polémico vídeo fosse recente na Internet e a ação da polícia tivesse sido de facto rápida.

O próprio Pharrell Williams, de 41 anos, já reagiu, entretanto, às detenções no Irão por causa do videoclip com a música que fez. Através das próprias redes sociais, o músico, que atua em Lisboa a 3 de outubro, disse ser “mais do que triste que estes jovens tenham sido presos apenas por tentarem espalhar um pouco de felicidade”.

A polémica em torno do videoclip surge semanas depois de uma jornalista ter iniciado no Facebook uma campanha pela liberdade de expressão das mulheres iranianas. Muitas internautas têm vindo a associar-se a essa campanha que apela ao não uso do tradicional véu imposto pela lei iraniana.