Última hora

Última hora

Britânicos entre os primeiros a escolher eurodeputados

Em leitura:

Britânicos entre os primeiros a escolher eurodeputados

Tamanho do texto Aa Aa

O Reino Unido foi um dos países a lançar, esta quinta-feira, as eleições europeias que duram, nos 28 Estados-membros, até ao próximo domingo.

A particularidade é que, na Inglaterra e na Irlanda do Norte, os eleitores votam também em municipais, para além de escolherem os 73 eurodeputados que os vão representar nos próximos cinco anos.

O partido conservador do primeiro-ministro David Cameron deverá ser castigado em ambos os escrutínios, marcados pela crescente popularidade da formação eurocética de Nigel Farage. O partido independentista UKIP surge em primeiro lugar nas sondagens para as europeias.

Em Londres, um eleitor diz que “a União Europeia está demasiado embrenhada nos seus procedimentos”, enquanto os britânicos “estão numa ilha separada”.

Outro diz que “há muito na Europa que precisa de mudar, mas precisamos dela e vice-versa”.

Apesar de sondagens recentes mostrarem um aumento do número de britânicos que acredita que o país se deve manter no bloco comunitário, a esmagadora maioria diz que a União Europeia não defende corretamente os seus interesses comerciais e financeiros.

O analista David Lea afirma que “os eurocéticos tocam num ponto sensível no Reino Unido, porque existe uma porção razoável da população que sente que não está a tirar benefícios suficientes da União Europeia e que a vê como algo de ‘estrangeiro’”.

Apesar da continuação do Reino Unido no bloco comunitário não estar em jogo, as relações com Bruxelas dominaram o debate nacional na antecâmara das europeias.

A correspondente da euronews, Sarah Chappell, lembra que “Cameron prometeu um referendo sobre uma eventual saída, se vencer as legislativas do próximo ano. Mais do que estas europeias, esse escrutínio pode marcar um verdadeiro ponto de viragem nas relações entre o Reino Unido e a União Europeia”.

European parliament elections