Última hora

Última hora

Europeias 2014: PPE vence, partidos eurocéticos crescem

Em leitura:

Europeias 2014: PPE vence, partidos eurocéticos crescem

Tamanho do texto Aa Aa

Vitória do Partido Popular Europeu (PPE) não garante eleição de Jean-Claude Juncker para Presidente da Comissão Europeia.

PS ganha as Europeias em Portugal. Movimento Partido da Terra (MPT) é a grande surpresa.

Partidos eurocéticos vencem em França, no Reino Unido, na Grécia e na Dinamarca.

Resultados europeus

Resultados em Portugal

O Partido Popular Europeu (PPE) venceu as Europeias 2014. Os conservadores obtêm 28,23% e elegem 212 deputados. O PEE vai propôr Jean-Claude Juncker para Presidente da Comissão Europeia, mas terá de negociar com socialistas e liberais para garantir a eleição.

Os partidos anti-europeus confirmam um forte crescimento, como o provam as vitórias em França, no Reino Unido e na Grécia.

Em Portugal, o triunfo foi do Partido Socialista (PS) com 31,45%, contra 27,7% para a Aliança Portugal (PSD/CDS). A CDU obtém 12,68 e elege 2 deputados. A supresa foi o Movimento Partido da Terra (MPT) que alcança 7,15% e elege Marinho Pinto. O MPT fica à frente do Bloco de Esquerda (4,56%) que só elege Marisa Martins.

Estas eleições para o Parlamento Europeu ficam marcadas pelo crescimento já esperado dos partidos eurocéticos.

França

Com 80% dos boletins contados, a Frente Nacional (FN) é o partido mais votado (26%) e elege mais de entre 23 e 25 deputados para o Parlamento de Estrasburgo. O partido de extrema-direita contava com três eurodeputados.

Os socialistas sofreram nova derrota. O partido do Presidente François Hollande, somava 13,8%, ficando no terceiro lugar atrás do conservadores da UMP (20,6%)

A UMP elege entre 18 e 21 deputados enquanto os PS fica com 13.

Hollande convocou o Governo para uma reunião de crise, esta segunda-feira, onde serão analisados os resultados.

Reino Unido

O líder do Partido pela Independência do Reino Unido (UKIP), Nigel Farage, reclamou vitória nas eleições europeias, considerando que representa um “terramoto” político e revela o fracasso do projeto europeu e da moeda única.

O UKIP obtém mais de 30%, o dobro do resultado alcançado em 2009.

Às 23:30, a oposição trabalhista era a segunda força política mais votada, com cerca de 24%. Os conservadores no poder estavam um ponto atrás do Partido Trabalhista.

Grécia

O partido da esquerda radical Syriza está ligeiramente à frente do Nova Democracia (ND, direita), do primeiro-ministro Antonis Samaras.

Alemanha

O partido conservador da chanceler alemã Angela Merkel vence com 36% dos votos, segundo as projeções que dão a entrada dos eurocéticos no Parlamento Europeu. A Alternativa para a Alemanha (AfD) deve conseguir 6,5%.

Poroshenko eleito Presidente da Ucrânia

Na Ucrânia, as projeções da televisão pública NTU para as eleições presidenciais apontam para a eleição à primeira volta de Petro Poroshenko, com 55,9% dos votos, contra 12,9% para Iulia Timoshenko.

Mais detalhes das presidenciais na Ucrânia aqui