Última hora

Última hora

Tailândia: Apoiantes dos Shinawatra desafiam lei marcial

Em leitura:

Tailândia: Apoiantes dos Shinawatra desafiam lei marcial

Tamanho do texto Aa Aa

Teme-se uma purga política na Tailândia após o golpe militar de quinta-feira.

Yingluck Shinawatra, a primeira-ministra que foi obrigada a demitir-se no início de maio, está agora detida, tal como vários membros do seu governo.

Este sábado, os “camisas vermelhas”, apoiantes dos Shinawatra, já estão nas ruas de Banguecoque e prometem uma grande manifestação numa atitude de desafio à lei marcial, que proíbe concentrações com mais de 5 pessoas.

Os militares que protagonizaram o golpe de Estado informaram que os responsáveis políticos que foram presentes à junta militar “poderão ficar detidos até uma semana”.

Segundo um porta-voz do exército “se não forem encontradas ligações ou ligações significativas ao conflito e for possível encontrar um terreno de entendimento” com os detidos “tendo em vista uma solução para a situação no país, seguramente que essas pessoas serão libertadas”.

Yingluck Shinawatra foi detida ao abrigo da lei marcial decretada pelos militares, que permite prender pessoas sem acusação durante precisamente uma semana.

A junta militar não informou quantas pessoas já foram detidas, mas mais de 150 estão proibidas de sair da Tailândia.

O exército voltou a intervir esta semana depois de meses de luta de poder entre os Shinawatra, apoiados pela maioria rural do norte do país, e a oposição, formada por uma elite urbana ligada maioritariamente à realeza e ao exército.