Última hora

Última hora

Tailândia: civis continuam a desafiar o poder militar

Em leitura:

Tailândia: civis continuam a desafiar o poder militar

Tamanho do texto Aa Aa

Enquanto os soldados continuam nas ruas de Baguecoque a tentarem calar os protestos dos tailandeses, os Estados Unidos decidiram suspender o envio de 3,5 milhões de dólares, um terço da ajuda americana anual à Tailândia.

Washington alega que a constituição dos Estados Unidos não permite a ajuda a países em que os governos foram derrubados por golpe de Estado.

O general Prayut Chan-O-Cha justifica a intervenção militar para resolver a crise política em que a Tailândia está mergulhada há sete meses, destacando os episódios de violência em que perderam a vida 28 pessoas desde o outono passado.

Mas muitos analistas vêm neste novo golpe uma luta pelo governo no momento da sucessão do rei Bhumibol Adulyadej, de 86 anos.

Esta sexta-feira, as chefias militares convocaram uma mesa redonda com mais de uma centena e meia de políticos e, no final, detiveram a ex-primeira ministra e vários membros da família Shinawatra.

Nas páginas das redes sociais tailandesas, a junta militar é representada por figuras de desenhos animados.