Última hora

Última hora

Nuri Bilge Ceylan: Uma longa história de amor com Cannes

Em leitura:

Nuri Bilge Ceylan: Uma longa história de amor com Cannes

Tamanho do texto Aa Aa

Depois de ter ganho duas vezes o grande prémio do Festival em 2002 e 2011, o realizador turco Nuri Bilge Ceylan obteve este ano a Palma de Ouro com o filme “Winter Sleep”.

Em Cannes, Ceylan falou com a euronews sobre a importância do galardão para o cinema turco.

“Foi uma coincidência feliz porque se celebram os cem anos do cinema turco. É a segunda Palma de Ouro para o cinema turco, há 32 anos já tinha sido atribuída a Yilmaz Gulney, a um filme de que gosto, um bom filme”, disse Ceylan.

“Winter Sleep” dura três horas e gira em torno de um casal de proprietários de um pequeno hotel na Anatólia. O local é um refúgio para ambos e, ao mesmo tempo, o palco dos conflitos do casal.

“O facto de o meu filme ter sido selecionado e premiado mostra que há esperança para o cinema de autor mesmo para o cinema mais difícil”, disse o realizador.

“Podemos comparar Nuri Bilge Ceylan a um compatriota, Ohran Pahmuk, vencedor do prémio Nobel. Queixar-se de que o filme dura três horas é como dizer que um livro tem muitas páginas”, sublinhou Thierry Fremaux, diretor artístico do Festival.

A italiana Alice Rohrwacher venceu o Grande prémio do Festival de Cannes com uma longa-metragem inspirada na sua vida pessoal.

“É um filme sobre uma família e durante a rodagem nasceu outra família, maior. Trabalhar com a minha irmã Aurora foi uma surpresa mas foi ao mesmo tempo natural como um rio que corre. E trabalhar com a Monica Bellucci foi uma alegria porque ela é uma mulher muito inteligente e muito irónica”, disse Alice Rohrwacher.

“Le meraviglie” conta a história de um casal de apicultores que procura viver de acordo com valores puros. O casal vive com as quatro filhas à margem da sociedade até ao dia em que uma apresentadora de televisão (personagem interpretada por Monica Bellucci) atravessa a existência da família.

O prémio de melhor atriz foi para Julian Moore enquantoTimothy Spall venceu o prémio de melhor ator pelo desempenho no filme de Mike Leigh onde incarna a figura do pintor Turner.

“Estou muito feliz. Eu represento todos os atores do filme porque quando trabalhamos com o Mike Leigh é sempre uma colaboração intensa”, disse Timothy Spall.

“Mr. Turner” é um fresco biográfico sobre a vida do pintor britânico do século XIX que abriu portas à abstração na pintura.

O russo Andrei Zviaguintse venceu o prémio para melhor argumento com “Leviathan”. A película conta a história de um homem em conflito com um presidente de câmara por causa de um terreno.

“O filme fala não só na sociedade russa mas também no homem em geral. Continuo a pensar que estamos numa luta perpétua entre o indivíduo e o sistema”, sublinhou Andrei Zvyaguintsev.

Este ano, o festival de Cannes fica ainda marcado pelos filmes do quebequense Xavier Dolan e de Godard, vencedores ex-aequo do prémio do júri.