Última hora

Última hora

Arte em tempo de guerra na Ucrânia

Em leitura:

Arte em tempo de guerra na Ucrânia

Tamanho do texto Aa Aa

Durante a revolta em Kiev, na Ucrânia, foram vários os artistas que saíram à rua não só para protestar contra o regime mas também para retratar os acontecimentos.

Marina Sochenko costumava pintar temas florais mas com o eclodir dos protestos juntou-se aos manifestantes para captar e pintar os grandes momentos da revolução.

Confrontos, violência, morte, mas também solidariedade e esperança passaram a fazer parte do universo da pintora ucraniana.

“Um artista deve pintar os temas que o comovem, desse modo pode tocar as outras pessoas”, afirmou Marina Sochenko.

Tanya Cheprasova passou o último inverno a pintar e a participar nos protestos.

Numa das obras, a artista ucraniana ilustrou a revolução em capacetes militares.

“Quero mostrar que não há apenas guerra, há também beleza naquilo que ficou após a revolução”, considerou Tanya Cheprasova.

Não foram só os artistas ucranianos que pintaram a revolta da praça Maiden. O museu de Arte Nacional da Ucrânia expõe atualmente as fotografias e as colagens de Eric Bouvet. O artista francês esteve três vezes em Kiev durante os protestos.

A responsável do museu sublinha que é impossível separar completamente o gesto artístico da intervenção política.

“A arte faz parte da esfera política, especialmente a arte contemporânea. Não podemos ficar indiferentes ao que se está a passar”, disse Natalia Shostak, responsável do museu.

Na praça Maidan há hoje vários monumentos dedicados aos manifestantes que perderam a vida durante os confrontos com a polícia.