Última hora

Última hora

Egito com taxa de participação "aceitável" nas presidenciais

Em leitura:

Egito com taxa de participação "aceitável" nas presidenciais

Tamanho do texto Aa Aa

Euronews: Os egípcios voltaram às urnas pelo segundo dia consecutivo para eleger o chefe de Estado isto numa altura em que as autoridades temem uma elevada taxa de abstenção. Falamos com o correspondente Mohammd Sheikhibrahim a quem começo por perguntar qual o sentimento dominante junto dos eleitores?

Ibrahim: “Em termos de segurança não há registo de incidentes que tenham perturbado o processo eleitoral. Isso deve-se ao reforço das medidas de segurança. Cerca de 200 mil militares e polícias foram mobilizados para garantir que as eleições presidenciais decorrem sem problemas. De acordo com alguns observadores a taxa de participação é aceitável apesar das campanhas eleitorais feitas na comunicação social para incentivar ao voto dos eleitores.”

Euronews: Durante as eleições presidenciais tem-se falado muito das divisões entre os apoiantes e os opositores de Abdel Fatah al-Sissi. Na tua opinião, para que lado vai a balança pesar?

Ibrahim: “Penso que vai depender da política seguida pelo futuro presidente do Egito e que pode passar pela reconciliação com as diferentes formações políticas do país ou por manter a política seguida depois de ter afastado do poder Mohamed Morsi.”

Euronews: As sondagens apontam para a vitória de al-Sissi. Consideras que essa possibilidade vai permitir que o exército egípcio continue a decidir sobre as políticas do país?

Ibrahim: “ Não me parece que o exército queira governar os cidadãos egípcios tendo em conta que o povo fez uma revolução para pedir liberdade, dignidade e justiça social. E, na minha opinião, a população não vai aceitar ser governada por militares.”