Última hora

Última hora

Papa debate abusos sexuais e casamento de padres no regresso da Terra Santa

Em leitura:

Papa debate abusos sexuais e casamento de padres no regresso da Terra Santa

Tamanho do texto Aa Aa

No fim da viagem à Terra Santa, o Papa Francisco abordou um dos temas mais polémicos no seio da Igreja Católica.

No voo de regresso a Roma, o Sumo Pontífice disse que vai efetuar no início do próximo mês, no Vaticano, o primeiro encontro com um grupo de vítimas de abusos sexuais.

O Papa sublinhou que mostrará tolerância zero a qualquer elemento da Igreja Católica que abuse de menores, incluindo bispos.

Aos jornalistas que o acompanharam no voo, afirmou que “um sacerdote que faz algo desse tipo trai o corpo do Senhor. Um sacerdote deve conduzir as crianças à santidade e elas confiam nele. Se, em vez de as conduzir à santidade, abusa de um rapaz ou de uma rapariga, isso é terrível. Em termos de comparação, é como se realizasse uma missa satânica”.

O voo ficou também marcado pela declaração a respeito do casamento de padres: o Sumo Pontífice disse que o celibato não é um “dogma de fé” no catolicismo e que “a porta está sempre aberta” para debater o tema.

Ontem, o Papa conduziu uma missa no Cenáculo, local reverenciado pelos cristãos como tendo acolhido a Última Ceia, depois de visitar alguns dos locais mais sagrados de Jerusalém.

Na última jornada na Terra Santa, deixou uma mensagem no Muro das Lamentações e abraçou representantes do judaísmo e do Islão, um dia depois de ter realizado uma simbólica oração no muro de separação erguido por Israel na Cisjordânia.