Última hora

Última hora

Marie Le Pen confiante na formação de um grupo de extrema-direita no PE

Em leitura:

Marie Le Pen confiante na formação de um grupo de extrema-direita no PE

Tamanho do texto Aa Aa

No Parlamento Europeu Marine Le Pen, a líder da Frente Nacional francesa, deu uma conferência de imprensa com o líder do Partido da Liberdade holandês, Geert Wilders, e responsáveis do Partido da Liberdade da Áustria, da Liga do Norte italiana e do partido belga flamengo Vlaams Belang.

Le Pen afirmou não estar preocupada com a formação de um grupo de extrema-direita no Parlamento Europeu, mas admitiu não ter ainda os apoios necessários.“Se afirmamos a nossa certeza de ter um grupo é porque, como vêm, temos cinco das sete nacionalidades necessárias, ou seja uma sólida base de 38 deputados. Saímos de uma reunião onde constatámos que as combinações possíveis são consideráveis”, disse a líder da Frente Nacional.

Contudo, segundo alguns especialistas, essa certeza não é tão evidente.

“A derrota dos nacionalistas eslovacos, com quem ela conta, foi um duro golpe e também os democratas suecos estão reticentes em juntar-se ao grupo de Le Pen, que, assim, poderá ter dificuldades na formação de um grupo”, afirmou David O’Leary.

A Frente Nacional, que venceu as eleições europeias em França, elegendo 24 deputados, já tinha anunciado a intenção de formar com o Partido da Liberdade de Geert Wilders, um grupo de extrema-direita, a Aliança Europeia pela Liberdade.

Um grupo político no Parlamento Europeu confere influência e meios financeiros adicionais aos partidos que o compõem.

“Ter um grupo, significa ter subvenções, meios logísticos e sobretudo poder assumir a presidências de comissões parlamentares e participar na definição da agenda das sessões plenárias. Objetivamente ter peso na política e na legislação europeias”, sublinhou Audrey Tilve, da Euronews, em Bruxelas.