Última hora

Última hora

Ucrânia: Barack Obama garante "apoio total" a Petro Poroshenko

Em leitura:

Ucrânia: Barack Obama garante "apoio total" a Petro Poroshenko

Tamanho do texto Aa Aa

O Presidente dos Estados Unidos garante “apoio total” ao vencedor das eleições presidenciais na Ucrânia, Petro Poroshenko. De acordo com a Casa Branca, Barack Obama contactou Poroshenko e sublinhou a necessidade de uma rápida implementação das reformas na Ucrânia para unir o país e desenvolver uma economia viável.

A euronews entrevistou, nos Estados Unidos, o antigo embaixador norte-americano na Ucrânia, John Herbst, que considera que “se a Ucrânia decide que quer tornar-se membro da União Europeia e não membro da NATO, não há problema. Se decidir que não quer tornar-se membro de nenhuma das duas, também não há problema. O que não está certo é que a Rússia use o poder militar, uma insurgência e a pressão económica para que a Ucrânia faça uma escolha decidida pelo Kremlin. Isso não é aceitável”.

Também entrevistado pela euronews, o antigo conselheiro de Segurança Nacional Zbigniew Brzezinski defendeu que “se Putin pensar nos interesses russos a longo prazo, vai chegar à conclusão que uma Rússia com boas relações com o ocidente, incluíndo com a Ucrânia, vai ganhar muito mais do que se estiver isolada e criar um império euroasiático.”

O correspondente da euronews nos Estados Unidos, Stefan Grobe, explica que
“Em Washington, entre os responsáveis pela política externa, há quem tema que a Ucrânia se torne numa espécie de Somália, apesar do presidente eleito Poroshenko ter garantido que não vai deixar que isso aconteça. A administração Obama adotou uma postura de “esperar para ver”, sabendo à partida que a chave para este conflito está em Moscovo”.